O tratamento mais caro do mundo acaba de ser aprovado nos Estados Unidos

A Food and Drug Administration aprovou na sexta-feira a terapia genética da Novartis para a atrofia muscular espinhal, tornando-a a droga mais cara do mundo. O tratamento irá custar 2,1 milhões de doláres.

A terapia, Zolgensma, é um tratamento único para a atrofia muscular espinhal, uma doença que causa desgaste muscular e é uma das principais causas genéticas de mortalidade infantil que afeta um em cada 11.000 nascimentos.

A Novartis disse que o tratamento custará 2,1 milhões – ou 425 mil doláres por ano distribuídos ao longo de cinco anos. A empresa disse que “está trabalhando com as seguradoras para criar acordos de cinco anos com base no sucesso do tratamento, além de outras opções de pagamento”.

A aprovação marca uma nova era na medicina, onde novas terapias podem curar pacientes em um único tratamento – mas com um alto preço. Seguradoras e governos precisarão descobrir como pagar por esses tratamentos e a sociedade precisará decidir se alguma droga, mesmo salvando vidas, vale milhões de dólares.

Ao defender o alto preço do medicamento, a Novartis disse que o tratamento único custa 50% menos que o custo de 10 anos do atual tratamento da doença.

Outro tratamento para a atrofia muscular espinhal de crianças e adultos é o Spinraza da Biogen, que tem um preço de lista de 750 mil dólares no primeiro ano e 375 mil dólares anualmente a partir de então. As ações da Biogen caíram mais de 1% na sexta-feira.

“Como líder global no tratamento da atrofia muscular espinhal, uma doença devastadora e com risco de vida, a Biogen aceita opções terapêuticas adicionais para ajudar os indivíduos com essa doença rara”, disse a Biogen em um comunicado.

O comissário da FDA, Ned Sharpless, elogiou a aprovação, dizendo em um comunicado afirmando “que é um marco no poder de transformação das terapias de genes e células para tratar uma ampla gama de doenças”.

Fonte: CNBC
(Visited 12 times, 1 visits today)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *