Negligência Planejada

O filósofo e renomado psicólogo americano William James cunhou uma celebre frase: “A arte de ser sábio é saber o que convém desprezar.” Esta frase foi escrita em 1900 e parece que James estava imaginando o nosso tempo quando a colocou no papel. Muitos de nós estamos vivendo para as coisas erradas.

Nos dia atuais temos um “milhão” de coisas a serem feitas e às vezes no final do dia temos a sensação de que nada foi realizado ou pelo menos aquilo que era importante foi deixado de lado.

Violine

Se deixarmos, somos consumidos pelas tarefas diárias e não conseguimos fazer o que realmente vale a pena ou que deveria ser feito.

Uma jovem violinista dava uma entrevista sobre seu sucesso tão precoce. A repórter perguntou qual o segredo disso. A jovem explicou, usei a técnica da “Negligência Planejada”. Então ela explicou, “Quando eu estava na escola, havia muitos coisas que me demandavam tempo. Quando ia para meu quarto após o café da manhã, eu tinha que fazer minha cama, arrumar o quarto, varrer o chão, e tudo mais que precisava ser feito. E daí comece a praticar com meu violino. Eu comecei a ver que não estava tendo muito progresso e reverti a ordem das coisas. Enquanto minha prática com o violino não estava feita, eu negligenciava todo o resto. Este programa de negligência planejada, eu acredito, é o segredo do meu sucesso.”

Essa técnica é crucial se quisermos atingir nossos objetivos e metas. Porque caso isso não for feito, nós arrependemos das coisas que não conseguimos realizar. E no final das contas não adianta chorar por aquilo que não foi feito.

“ Coloque as coisas mais importantes primeiro e negligencie aquilo que não importa.”

Um estudo feito pelo Dr. Tony Campolo nos mostra a importância de focar no que vale a pena e deixar de lado aos que não são importantes. Campolo entrevistou mais de 50 pessoas com idade acima dos 95 anos e fez a seguinte pergunta: “Se você pudesse viver sua vida novamente, o que você faria diferente?” Várias respostas apareceram, mas as mais comuns foram:

  • Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu iria refletir mais.
  • Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu iria arriscar mais.
  • Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu faria coisas que ficaria depois que eu morrer.

O que você precisa deixar de lado para focar naquilo que realmente importa?

Assim chegaremos no final da vida sem, ou com menos, arrependimento, e com uma sensação de dever cumprido.

Captura de Tela 2014-10-29 às 23.59.57